English Version Versão Portuguesa Version Française Versione Italiana Türkçe Sürüm Wersja Polski Variantă Română Ελληνική έκδοση Magyar Nyelv Český Jazyk Versión Española
Sponsors:

Ranking of Recyclers

< Back

Coordenador:

Diakonie Kork Epilepsiezentrum.


A Diakonie Kork Epilepsiezentrum (associação de assistência da igreja evangélica, centro para a epilepsia) é um dos cinco centros para a epilepsia na Alemanha. As suas actividades compreendem diagnóstico, terapia, reabilitação, pesquisa e ensino. Além disso, a Diakonie Kork oferece habitações, uma escola e uma oficina para pessoas com deficiências físicas e mentais.

Kork é uma pequena aldeia no sudoeste da Alemanha situada a cerca de 6 quilómetros da fronteira com a França. A palavra Kork em alemão significa cortiça. A etimologia do nome da aldeia, porém, não tem relação nenhuma com o material cortiça, mas deriva quer da palavra igreja, que em alemão medieval era kerk, quer duma ordem de monges irlando-escocês que tem as suas raízes em Cork (Irlanda).

Contacto:

Klaus Freudenberger, director de relações públicas, e-mail: kfreudenberger@diakonie-kork.de, 0049 (0)7851/84-1540

Início:

Klaus Freudenberger começou em 1989 o seu trabalho na Diakonie Kork. A sua tarefa foi tornar o centro para a epilepsia mais conhecido na sociedade e construir uma relação estável entre as pessoas e a Diakonie Kork. Como a aldeia Kork fica no meio das regiões de viticultura Baden, Württemberg, Rheinland-Pfalz e Alsácia, foi fácil observar que cada ano milhares de rolhas são deitadas fora. Assim nasceu em 1991 a ideia de associar o nome da aldeia Kork ao material Kork (= cortiça) e de iniciar um projecto de reciclagem das rolhas com o nome Korken für Kork (rolhas para Kork). A inspiração para o projecto foi oferecida por uma acção mais antiga que consistia na recolha das tampas das garrafas de cerveja para financiar cadeiras de rodas.

A acção Korken für Kork foi a primeira iniciativa de reciclagem de rolhas na Alemanha (1991). Com essa iniciativa a Diakonie Kork perseguia três objectivos: tornar o centro para a epilepsia mais conhecido na sociedade, criar empregos para pessoas com deficiências e contribuir para a valorização do lixo. Depois de 1991 surgiram várias outras acções deste tipo, entre outras em Schweinfurt, Aachen (Partido dos Verdes), Uffenheim (Evangelische Landjugend – associação evangélica para os jovens), Alemanha do Norte (NABU – uma organização ambiental alemã e Winterhuder Werkstätten – oficinas para pessoas deficientes em Hamburgo).

Projecto:

A acção é financiada por meio de donativos e de contributos públicos para o emprego das pessoas deficientes, os quais são utilizados para pagar os salários das pessoas que trabalham na reciclagem das rolhas.

A Diakonie Kork trabalha autonomamente e recicla rolhas que provêm de mais de 3.000 depósitos. Estes depósitos estão espalhados na Alemanha inteira, mas a maioria deles encontra-se no sudoeste do país, ou seja na região onde o consumo de vinho é maior. Os depósitos são ou centrais (envolvimento da limpeza urbana e dos centros de recolhimento de materiais que podem ser reutilizados) ou descentrais (escolas, igrejas, lojas, empresas, indivíduos etc.). A Diakonie Kork fornece aos depósitos sacos para a recolha e o transporte das rolhas. Com as rolhas recolhidas doze pessoas com deficiências mentais produzem granulado isolante que pode ser utilizado para a construção ecológica de casas. O granulado é vendido e o preço líquido oscila entre 95.50 €/m3 e 170 €/m3 segundo a quantidade comprada e o tipo de granulado. As receitas da venda são importantes pela acção mas, como o objectivo principal da iniciativa era tornar a Diakonie Kork mais conhecida, não são a motivação determinante para a continuação da reciclagem de rolhas.

Para o transporte das rolhas a Diakonie Kork desenvolveu uma solução ecológica: fez um acordo com uma empresa de roupas que tem um armazém de distribuição perto de Kork para que esta transporte as rolhas quando há espaço livre nos camiões. Por ordem da Diakonie Kork os camiões vão buscar as rolhas (quantidade mínima: 5 metros3). O transporte é gratuito para os depósitos.

Resultados:

Mesmo se desde o inicio a acção foi bem acolhida pela população, a reciclagem das rolhas desenvolveu-se lentamente no começo. Em meados dos anos 90, quando o transporte das rolhas foi melhorado graças à parceria com a empresa de roupas, a quantidade de rolhas aumentou nitidamente porque numerosos novos depósitos decidiram aderir à iniciativa. Isso demonstrou que a questão do transporto é essencial para o sucesso da reciclagem.

Até hoje a Diakonie Kork reciclou mais de 40.000 metros cúbicos de rolhas. Nos períodos melhores foram reciclados 3.500 metros cúbicos de rolhas por ano. Em 2009, porém, houve uma diminuição de 20%. Klaus Freudenberger identifica a causa principal disso com o aumento do uso de rolhas de plástico. Com isto, menos rolhas são devolvidas aos depósitos e, como os camiões vão buscá-las só a partir de uma certa quantidade, as rolhas acabam por ficar ali muito tempo. Por isso muitos depósitos decidiram acabar com a participação na acção. Por fim, Klaus Freudenberger nota que também a consciência ambiental das pessoas recuou notavelmente em comparação com os anos 90.

A diminuição da quantidade das rolhas recicladas na Alemanha pôde em parte ser compensada pelas rolhas recolhidas na França e enviadas para Kork para serem transformadas em granulado (cerca de 20% em 2009). A cidade de Estrasburgo incluiu a acção Korken für Kork no seu plano de gestão do lixo e recolhe as rolhas em todos os centros de depósito. Além disso a recolha é feita pela associação Amis de la Nature em várias cidades francesas e por algumas igrejas na Alsácia.

Uma dificuldade encontrada durante a reciclagem é que, misturadas com as rolhas de cortiça, a Diakonie Kork recebe também rolhas de plástico. Actualmente estas representam cerca de 15% das rolhas recebidas. Para separar os dois tipos de rolhas a Universidade de Karlsruhe desenvolveu um aparelho que, através de um mecanismo óptico, faz uma selecção automática. O nome do aparelho é KORDULA (Kork durch Licht aussortiert = rolhas separadas através da luz). Depois desta selecção, é feita também uma segunda selecção manual. Em seguida a Diakonie Kork tem que dispor das rolhas de plástico como lixo industrial.

Benefícios:

A reciclagem das rolhas contribui para a valorização do lixo e permite a produção de granulado isolante, um material natural de óptima qualidade que pode ser utilizado para a construção ecológica de casas.

Através da acção Korken für Kork foram criados empregos para pessoas com deficiências mentais no processo de transformação das rolhas. Como consequência disso, surgiram também outras possibilidades de emprego na Diakonie Kork no âmbito da administração e da direcção dos grupos. Além disso foi iniciado em Freiburg, uma cidade no Sul da Alemanha, um segundo projecto em parceria com a Diakonie Freiburg para a transformação do granulado. Isso permitiu criar empregos ulteriores para pessoas desempregadas.

Por fim, graças à reciclagem das rolhas, o centro para a epilepsia ganhou mais atenção por parte da sociedade e isso permitiu iniciar uma ampla discussão social sobre os difíceis temas da epilepsia e da deficiência. Desta maneira, a Diakonie Kork tornou-se mais conhecida e muitas pessoas epilépticas aprenderam com a existência do centro para a epilepsia onde puderam ser ajudadas.




^ Page top